Primeiro Mega Aulão Mexa-Se Dance reúne cerca de 400 pessoas na zona leste de Manaus

Com a participação de aproximadamente 400 pessoas, a zona leste deu show de alegria e alto astral na 1ª edição do Mega Aulão Mexa-se Dance. O evento, que aconteceu na noite de quinta-feira (25/10), às 19h, no estacionamento da casa de show Arena Mix, localizado na avenida Grande Circular, em Manaus, é uma realização da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel) e reuniu todos os polos do projeto “Mexa-se Dance” em uma grande dança ao ar livre.

Bairros como Oswaldo Frota, Lírio do Vale, Coroado, Jorge Teixeira e Viver Melhor, que recebem a ação nos dias de quinta-feira, tiveram muitos de seus alunos participando deste Mega Aulão, e apesar da participação das mulheres ser sempre maior, é possível ver que os homens também vem ganhando o seu espaço, principalmente quando o assunto é melhoria na saúde. Um grande exemplo é o caso do funcionário público Josias Albino, 40, que frente às crises de asma e diabetes, achou nas aulas de dança uma forma de melhorar sua qualidade de vida.

“Sempre tive crises de asma, diabetes, hipertensão e, diante desse quadro, o médico me receitou fazer alguma atividade física. Desde que comecei as dançar com essa turma de muito alto astral, me sinto bem melhor. Comecei a fazer aulas de dança há três anos e graças a Deus meus problemas de saúde estão controlados, além disso, essa interação com outras pessoas mostra o quanto a dança vem me mudando e proporcionando qualidade de vida”, afirmou.

Mais qualidade de vida – Diminuir o peso, sair da ociosidade e melhorar o condicionamento físico são geralmente os fatores que mais contribuem para o aumento do número de pessoas que se inserem nas aulas de ritmos, uma vez que elas veem nessa prática a sua melhor possibilidade de levar uma vida menos sedentária. A professora Mônica Cruz, de 48 anos, lembra que sempre buscou alguma atividade nesse sentido, mas sempre teve dificuldade de encontrar por conta da distância, mas quando se mudou para o bairro Oswaldo Frota, na Zona Norte, as aulas aconteciam próximo à sua casa, o que foi uma “mão-na-luva”.

“Venho fazendo as aulas de dança há pouco tempo, mas já sinto uma grande diferença. Me recordo que sempre quis praticar alguma atividade, mas os lugares eram sempre muito distantes e eu não tinha como ir. Quando me mudei, vi que do outro lado da minha rua acontecia o ‘Mexa-se Dance’ e comecei a participar, até porque estava perto, do jeito que eu queria. A melhora foi muito rápida. Moro no segundo andar do meu prédio e a cada dois degraus, ficava muito ofegante, mas agora, melhor fisicamente, quebrando o meu sedentarismo, subo bem mais rápido e segura. A minha disposição é muito grande, e hoje vim participar dessa interação com as colegas de outros bairros”, ressaltou a professora.

Confraternização – Com as danças ao ar livre, o projeto atende mensalmente cerca de cinco mil pessoas em vários bairros da nossa capital. Neste evento, os 36 professores que encabeçam o projeto nos bairros, estiveram presente e fizeram a animação do público. Para o coordenador do projeto, Márcio Prata, o Aulão foi uma confraternização dos grupos do “Mexa-se Dance”.

“Desde a reformulação do nosso projeto de dança, levamos em consideração o número de pessoas que, dispersamente, já dançavam pela cidade, mas sem regularidade e o acompanhamento específico. Com o ‘Mexa-se Dance’, conseguimos fazer o englobamento de todo esse público e estamos gerando qualidade de vida a partir da dança, que é o nosso objetivo e o da Sejel. Hoje, esse evento faz a confraternização dos grupos do projeto, onde há interação, conhecimento e o melhor, muita dança, que é o que mais eles esperam dos nossos professores”, finalizou Márcio.

FOTOS: DIVULGAÇÃO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here