Nando Reis comemora 35 anos de carreira no palco do Teatro Amazonas

Foto - reprodução

Comemorando 35 anos de carreira, Nando Reis faz amanhã a apresentação de show acústico. Acompanhado apenas de um violão, o cantor cantará sua trajetória musical no palco do Teatro Amazonas.

Plateia e frisas já estão esgotadas, mas ainda é possível adquirir na bilheteria do teatro as últimas unidades do 1° pavimento ao preço de R$ 210 (meia); por R$ 180 (meia), pode ser adquiridos para o 2° pavimento e R$ 155 (3° pavimento/meia). Para quem gosta de comodidade, os passaportes para uma noite de muita história podem ser comprados no site www.aloingressos.com.br. E ainda, nos pontos de vendas da Alô Ingressos no Amazonas, Manauara e Sumaúma Shopping e no Via Norte.

Para a noite de comemoração, Nando Reis revisitará as composições de sucesso e ainda novas versões de canções de sua autoria. ‘N’ e ‘All Star’, ‘Os Cegos do Castelo’, dos Titãs, e canções de sua autoria, que fizeram sucesso na voz de outros artistas, como ‘Sutilmente’, gravada pelo Skank, estão no seu set list.

Já fazem 35 anos que Nando Rei subiu ao palco pela primeira vez, naquele momento era parte integrante do grupo de rock brasileiro Titãs. Sendo um dos principais compositores e mantem-se atualmente, sempre se reinventando e atraindo novas gerações de fãs.

Nos Titãs, saíram de suas mãos letras icônicas como “Pra dizer adeus”, “Querem meu sangue”, “Homem primata”, “Bichos escrotos” e “Marvin”. Em 2018, já fez a turnê europeia com o disco Trinca de ases, ao lado de Gal Costa e Gilberto Gil.

Nando Reis é sem sobra de dúvida uma dos mais premiados artistas e compositores, em seu currículo, ele já é detentor de três troféus do prêmio máximo da música, o Grammy, além de canções regravadas por nomes como Marisa Monte (“Diariamente”), Cássia Eller (“All star”, “O segundo sol” e “Relicário”), Skank (“Resposta” e “É uma partida de futebol”), Jota Quest (“Do seu lado”), entre tantos outros.

Ele também é detentor de três troféus do prêmio máximo da música, o Grammy, um de 2002, pelo “Acústico Cássia Eller”, como Melhor Álbum de Rock em Língua Portuguesa, outro de 2011, por “De Repente”, com Skank, por Melhor Música de Rock em Língua Portuguesa, e “Jardim-Pomar” ganhou o mais recente, de 2017, como Melhor Álbum de Rock ou de Música Alternativa em Língua Portuguesa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here